A operação processual em causa visa a ampliação e reabilitação das capelas mortuárias existentes, respeitando sempre a génese dos princípios morfológicos e antropológicos do espaço envolvendo-as nas suas diversas dimensões - espaço filosófico, espaço social e espaço religioso.

É commumente aceite que, o que não se vê é frequentemente tão ou mais importante do que se consegue ver, esta premissa é enquadrada de forma contundente no conceito presente na elaboração projectual das capelas mortuárias da igreja S. veríssimo de Paranhos. 

É através  da representação simbólica que nos apropriamos do mundo e nessa perspectiva a utilização da simbologia neste processo conceptual veio materializar a ideia da necessidade de uma orientação intuitiva clara, mas sem a obrigatoriedade da manifestação física desses mesmos elementos. Assim, estamos em condições de organizar e ordenar de forma hierárquica o conjunto de volumes, estabelecendo, primeiro a função, só depois a forma. 

Nesta linha de raciocínio é determinado que no processo de velação a luz, o conforto e a qualidade ambiental são definições basilares fundamentais num percurso fúnebre mais harmonioso.

A reabilitação das capelas mortuárias, é o mote para a ampliação do complexo proposto, sendo prevista a adição de novas capelas com novas valências a tardoz do existente, colmatando as necessidades actuais existentes.